Artigos

A importância da comunicação nas organizações

Por Carolina Guilardi

Comunicação: ação/competência agregada como parte de valores e KPIs da maioria das corporações globalmente. E, ainda assim, independentemente de porte ou segmento, as empresas constantemente sofrem com gaps de clareza ou falta direcionamento. A falha em um processo de comunicação pode causar, não apenas perdas financeiras, como também situações desgastantes entre executivos e suas equipes, pares e acionistas.

Como apresentamos em artigos anteriores da Linco, a boa comunicação é um dos principais aceleradores de performance. É ela que vai garantir que os colaboradores trabalhem de forma conjunta e alinhada aos objetivos da empresa, e ainda fazer com que eles se sintam pertencentes a ela, implicando em aumento de desempenho, inovação constante e criando defensores da sua marca.

The Economist Intelligence Unit, realizou uma pesquisa, onde ouviu 403 profissionais de grandes companhias americanas, e o resultado mostrou que mais da metade (55%) diz perder algumas horas da semana resolvendo problemas causados por falhas na comunicação — 16% chegam a passar mais de um dia por semana fazendo isso, e apenas 3% não dedicaram tempo a tarefas desse tipo recentemente.

Os principais causadores de ruídos citados foram: Estilo de comunicação diferente do disseminado na cultura, a falta de clareza na distribuição de responsabilidades e direcionamento do negocio e informações sobre políticas e benefícios.

Por isso, as corporações tem investido em diversas frentes e ferramentas que ajudam criar comunicação mais eficaz e, consequentemente, melhorar os resultados da empresa como um todo. A inteligência artificial promete ser a grande aposta da comunicação dentro das organizações.

Os chatbots são uma das apostas para a Transformação Digital nas empresas. Em linhas gerais, os robôs de bate-papo permitem que pessoas e empresas conversem por meio de aplicativos de mensagem de forma dinâmica e até mesmo personalizada. Oferece agilidade no repasse de informações, atendimento e fidelização de clientes e engajamento de colaboradores. Além disso, automatiza parte do atendimento, reduzindo custos com call centers e outras ferramentas ou processos.

Apesar da tecnologia estar a disposição para nos ajudar, é importante saber que nem todos se adaptam a ela da mesma maneira e na mesma velocidade. O uso de mídias sociais e mensagens instantâneas no trabalho está abrindo um grande gap de comunicação entre Millenials e a gerações anteriores. Ainda de acordo com o levantamento da The Economist, quase um terço dos millennials (31%) e membros da Geração X (30%) dizem que usaram mensagens todos os dias para se comunicarem com colegas e clientes. Contudo, apenas 12% dos baby boomers dizem o mesmo.

Embora as novas tecnologias estejam à disposição para facilitar os processos do dia a dia das empresas, é preciso manter a sensibilidade e considerar as necessidades das pessoas antes de qualquer coisa. A tecnologia é justamente uma facilitadora para que isso aconteça.

Sendo através do uso de novas tecnologias ou da tradicional conversa presencial, o que realmente importa é que a comunicação seja bem feita. Que a ideia principal seja passada com clareza e que todos da companhia estejam alinhados em uma mesma estratégia. Estar ciente de que existem muitas maneiras de se comunicar e entender a melhor forma de uso das ferramentas tecnológicas que existem a disposição, as empresas aumentam a efetividade da comunicação e atingem melhores resultados.